Ir para conteúdo
Siscomex - Comércio Exterior

Leaderboard


Popular Content

Showing content with the highest reputation since 30-06-2009 in all areas

  1. 3 points
    Não discuto a importância de um bom despachante para fazer as importações, mas cobrar até R$ 1.000,00 para habilitação no Radar é completamente absurdo. Se a empresa não tem nenhum problema com a documentação e o fiscal da Receita não for muito chato, qualquer pessoa com primeiro grau completo consegue juntar os documentos. O mais importante de tudo: VOCÊ NÃO PAGA NADA PARA TIRAR O RADAR! SE ENTREGAR A DOCUMENTAÇÃO ERRADA PODE MUITO BEM RETIFICAR QUANTAS VEZES FOR NECESSÁRIO. Claro que vai perder tempo, mas é melhor do que pagar R$ 1.000,00. São pouquíssimos os documentos solicitados: Art. 4º O requerimento de habilitação, na modalidade simplificada, será instruído com os seguintes documentos, conforme disposto no art. 10 da IN SRF nº 650, de 2006. http://www.receita.fazenda.gov.br/publico/Legislacao/Ins/2012/IN1245/Anexo1IN12452012.doc Assinado e com firma reconhecida I - cópia do documento de identificação do responsável pela pessoa jurídica, ou do signatário do requerimento, se forem pessoas diferentes; e Copia autenticada de RG e CPF II - instrumento de outorga de poderes para representação da pessoa jurídica, quando for o caso. Se não precisa levar se você mesmo for dar entrada (...) I - cópia dos atos constitutivos da pessoa jurídica, ou de sua última consolidação, e alterações realizadas nos últimos dois anos; Se for ME, levar cópia autenticada do Requerimento de Empresário II - certidão simplificada da Junta Comercial expedida há, no máximo, noventa dias; Aqui em Pernambuco esta certidão pode ser solicitada até pela internet no site da Junta Comercial. No mesmo dia que eu paguei (R$ 28,00) recebi a certidão. III - relativos aos imóveis onde funcionam o estabelecimento matriz e o principal depósito da requerente: a) cópia da guia de apuração e lançamento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) ou Declaração do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (DITR), com os dados cadastrais do imóvel; e Cópia autenticada do carnês de IPTU onde a empresa está instalada. O IPTU deve estar no nome de sua empresa ou se o imóvel for alugado o IPTU deverá estar no nome de quem celebrou o contrato de aluguel com sua empresa. Se for imóvel alugado, levar cópia do contrato de aluguel com todas as vias autenticadas. cópia da nota fiscal de energia elétrica ou de telefone do mês anterior ao da protocolização do requerimento. Conta simples de luz ou telefone que esteja em nome da sua empresa Aqui em Recife solicitaram outro documento, a inscrição estadual e a situação no Sintegra, mas a fiscal foi muito solícita. Ela entrou no site http://www.sintegra.sefaz.pe.gov.br/ imprimiu a via e anexou ao meu processo. Preenchi o requerimento e preparei toda esta documentação em menos de 2 hora (contando o tempo esperando no cartório pelas autenticações e reconhecimentos de firma). No mesmo dia entreguei na Receita Federal. O comunicado do deferimento chegou apenas 7 dias úteis após eu entregar a documentação. Tem algo de complicado nisso ai? Se precisar de ajuda no preenchimento do requerimento de habilitação podem me perguntar.
  2. 2 points
    O radar pode ser emitido por qualquer pessoa. O valor é cobrado pois exige observância e estudo das leis aduaneiras vigentes e demanda de disposição e tempo ( e muito, ultimamente ) para acompanhamento. Lembrar que quando um despachante esta correndo atrás da habilitação de radar, ele deixa de fazer fazer desembaraços, então nada mais justo cobrar. Abcs.
  3. 1 point
    Antes fazia o pagamento dos tributos normalmente pelo ambiente Minhas Importações, nos correios, que aumentou, desde o ano passado; o limite de U$500 para U$3000, porém, ao que foi falado, para a RF, por se tratar de produto controlado, precisa disso. Não confirmei ainda.
  4. 1 point
    Elias, Estou com o mesmo problema e vaárias pessoas tambem...Minha saga de descobrir como conseguir acesso ao siscomex para cadastro de despachantes , já que tenho deferido meu processo de radar, já dura 01 mes... basicamente o que descobri, porque nem os fiscais sabem ao certo: se voce ja tem radar e aparece esta mensagem no siscomex, é porque o fiscal que deferiu seu radar, esqueceu de VINCULAR seu CPF ao CNPJ....Voce deve emitir os forms COTC 61 e a solcitação de Dossie digital de atendimento e entregar em uma sede da RFB....Com estes dois forms e boa vontade deles, voce terá acesso ao siscomex atraves do seu e-cpf.... eu ainda não tenho acesso apesar de fazer estes dois forms, mas como estão em greve a meses, tenho que esperar a boa vontade de um fiscal para fazer esta veinculação de cpf ao meu cnpj.... ESPERO AJUDAR AS PESSOAS COM ESTA " MINHA DESCOBERTA "......
  5. 1 point
    Bruno, complementando a resposta do colega Maicon, no objeto social tem que sempre constar importação. Pode ser o que você coloca abaixo ou mais abrangente ainda. 3 - objeto social - pode ser Comércio varejista de plantas e flores naturais e importação de plantas e flores naturais ? Quanto ao capital social, já vimos fiscais da Receita solicitarem liquidez em reais correspondente a mais de US$ 150 mil para conceder o Radar Ilimitado. Para o Expresso, não há tantas exigências e para o Limitado, o mesmo raciocínio se aplica do Ilimitado. Mário Lopes IBSolutions - Consultoria e Gestão de Importação e Exportação
  6. 1 point
    Prezado Edmar, bom dia! Através do Portal Único não é possível requerer habilitação de Empresário Individual (ME), o CNPJ não aparece conforme você menciona. Ao contatar a RFB, fui informado que para ME e EIRELI o requerimento da habilitação via Portal não funciona. Para EIRELI alguns colegas afirmam ter conseguido. No entanto a fundamentação e o motivo do veto não foi esclarecido. Para obter o registro eu faria o pedido via processo administrativo com petição informando o ocorrido a fim de evitar o indeferimento e arquivamento do pedido. Um Feliz 2018 para você, seus afetos e todos os participantes do Forum Siscomex. Um abraço do Moacir
  7. 1 point
    Talvez 7319-0/02 - Promoção de vendas..... Abcs,
  8. 1 point
    Ola Giuseppe, MEI pode sim atuar no comércio exterior, inclusive até obter a habilitação no Radar. Abcs,
  9. 1 point
    Ola Carlos Eduardo, bem vindo Com certeza irá agregar, pois classificação fiscal sempre exige muito conhecimento e conforme sabemos, a mesma pode ser o detalhe que separa o sucesso do caos! Abcs,
  10. 1 point
    Link atualizado pessoal: http://mkt.maino.com.br/planilha-nota-fiscal-importacao?utm_source=blog&utm_medium=post http://www.maino.com.br/
  11. 1 point
    Tatiane, óculos de sol tem a classificação fiscal 90404.10.00. Abaixo seguem impostos. II:20% IPI:15% PIS:2,10% COFINS:9,65% ICMS:de acordo com alíquota estadual Os impostos representação em média 85% do valor FOB (mercadorias na origem). Como é um produto personalizado, acredito que seu cliente terá urgência no recebimento dos produtos e os Correios poderá não ser a melhor opção. O importante é você começar a visualizar os custos pelas diferentes opções logísticas. Para isso sempre sugerimos o desenvolvimento de uma Análise de Viabilidade de Importação que tem com principais objetivos: · Detalhar os impostos incidentes na importação; · Indicar o tratamento administrativo na importação (necessidade de registro e cadastro de produtos/importador, Licença de Importação entre outros); · Simular cenários de custos de importação; · Indicar o lote econômico que traz o melhor custo x benefício para a importação; · Verificar possíveis barreiras de entrada; · Analisar as estatísticas de importação indicando: origem dos produtos importados, localização dos importadores e logística de importação; · Discutir as opções de Importação Direta e Importação Indireta – Vantagens e Desvantagens; · Detalhar a logística de importação – prazos, procedimentos e rotinas; · Estudar a legislação vigente sobre os produtos a serem importados. Atenciosamente, Mário Lopes IBSolutions - Gestão e Consultoria de Importação e Exportação
  12. 1 point
    Olá pessoal, Gostaria de compartilhar com vocês uma planilha que eu desenvolvi para apuração do custo de produtos importados. Essa planilha apresenta a concepção de como fazer os cálculos de impostos e os rateios das despesas. Porém, a cada processo, a quantidade de adições e itens das adições podem mudar, bem como as classificações fiscais e alíquotas dos impostos. Assim, a idéia geral é a mesma, mas a planilha deve ser adaptada a cada processo/empresa. Depois de adaptada a planilha à DI, o usuário precisa apenas preencher as células em roxo. O restante contém fórmulas que serão calculadas automaticamente conforme essas informações. Eu tenho um exemplo completo com: DI (Declaração de Importação), Commercial Invoice e Packing List, além da planilha preenchida. Infelizmente, não tenho como anexar aqui devido ao tamanho dos arquivos. Mas, para quem tiver interesse, me mande um e-mail que eu envio esses arquivos complementares. Meu e-mail é dricadetoledo@gmail.com. Caso alguém tenha sugestões para melhorar a planilha, por favor, as exponha aqui para que todos possam ser beneficiados. Um grande abraço a todos. Adriana Toledo CUSTO_PROCESSO_IMPORTAÇÃO.xls
  13. 1 point
    Boa tarde Tatiane, Possívelmente pelo tamanho da sua encomenda e pelo valor da Importação, seja mais vantajoso Importar pelos Correios, mesmo sendo 60% de Imposto, pois o Frete Internacional fica bem mais barato. Agora, se a sua demanda aumentar muito e os volumes e valores da Importação aumentarem junto, com certeza seria interessante você cotar os serviços de um Despachante e de um Frete internacional com Agente de Cargas, para saber qual seria melhor. Mas lembre-sse, quando trouxer pelo Importa Fácil, traga pelo seu CNPJ e não pelo CPF, pois Pessoas Físicas são proibidas de Importar para Revenda e se a Receita parar uma carga sua, pode enviar para perdimento. Att, Atenciosamente/ Thanks and best regards Luciano Bauml ******************************************************************************** Smart Choice Assessoria em Comércio Exterior Ltda Diretor de Negócios Rua Sete de Setembro, 4995 – Lj. 01 Bairro Batel – Curitiba / Paraná – CEP.: 80.240-000 Phone : + 55 41 3257-4121 Cel.: + 55 41 8833 8799 Skype.: luciano.bauml e-mail: luciano.bauml@smartchoicecwb.com
  14. 1 point
    Zamp, bom dia! Você precisará abrir uma MEI aqui no Brasil e, posteriormente, iniciar suas operações via Importa Fácil ou via habilitação no RADAR. Ambas as alternativas tem peculiaridades distintas que deverão ser previamente analisadas, dentre elas valores das futuras importações, tipo de produto a ser importado, objetivo da importação, entre inúmeras outras. Tenha em mente que a carga tributária também irá variar de acordo com a opção escolhida, o que pressupõe que é muito difícil te dar uma resposta totalmente conclusiva. De qualquer maneira, o primeiro passo seria a abertura de uma empresa, já atentando-se que, no caso de optar-se pela habilitação no RADAR, algumas particularidades deverão ser levadas em consideração. Abraços e sucesso! Renato Tonon Comércio sem Fronteiras Serviços de Apoio em Negociações Internacionais http://tudosobreradar.wix.com/perguntaserespostas https://br.linkedin.com/in/comerciosemfronteiras skype: comerciosemfronteiras 55 11 3641 8652 55 11 9 8211 8009 (whatsapp)
  15. 1 point
    Armando, em complemento à resposta acima, note artigo do Regulamento Aduaneiro. Art. 18. O importador, o exportador ou o adquirente de mercadoria importada por sua conta e ordem têm a obrigação de manter, em boa guarda e ordem, os documentos relativos às transações que realizarem, pelo prazo decadencial estabelecido na legislação tributária a que estão submetidos, e de apresentá-los à fiscalização aduaneira quando exigidos (Lei nº 10.833, de 2003, art. 70, caput): § 1o Os documentos de que trata o caput compreendem os documentos de instrução das declarações aduaneiras, a correspondência comercial, incluídos os documentos de negociação e cotação de preços, os instrumentos de contrato comercial, financeiro e cambial, de transporte e seguro das mercadorias, os registros contábeis e os correspondentes documentos fiscais, bem como outros que a Secretaria da Receita Federal do Brasil venha a exigir em ato normativo (Lei no 10.833, de 2003, art. 70, § 1o). Art. 19. As pessoas físicas ou jurídicas exibirão aos Auditores-Fiscais da Receita Federal do Brasil, sempre que exigidos, as mercadorias, livros das escritas fiscal e geral, documentos mantidos em arquivos magnéticos ou assemelhados, e todos os documentos, em uso ou já arquivados, que forem julgados necessários à fiscalização, e lhes franquearão os seus estabelecimentos, depósitos e dependências, bem assim veículos, cofres e outros móveis, a qualquer hora do dia, ou da noite, se à noite os estabelecimentos estiverem funcionando (Lei no 4.502, de 30 de novembro de 1964, art. 94 e parágrafo único; e Lei no 9.430, de 27 de dezembro de 1996, art. 34). Atenciosamente, Mário Lopes IBSolutions - Gestão e Consultoria de Importação e Exportação
  16. 1 point
    Honestamente não dá para aceitar que pessoas chamem dropshipping de importação. Revenda de produtos importados por pessoa física é proibida. É por essas iniciativa e outras mais que a Receita Federal aumenta cada vez mais o controle nas importações, punindo os bons importadores. Então de quem é a culpa da burocracia? Quer ter conhecimento de importação? Procure algum profissional da área ou empresa que possa estruturar juntamente com você um plano de negócios internacionais. Um projeto sério vai passar longe de conceitos como dropshipping. Importação formal é para quem tem visão de negócio e que espera resultados a médio e longo prazo. Observação: há outros fórums mais apropriados para quem quer dar dica de COMO NÃO IMPORTAR. Vamos respeitar os colegas desse fórum e realmente compartilhar aquilo que agrega. Atenciosamente, Mário Lopes IBSolutions - Gestão e Consultoria de Importação e Exportação
  17. 1 point
    Prezados colegas, O Ministério da Saúde controla a fabricação e a importação de todos os produtos cosméticos, no Brasil. A intenção do controle sobre os cosméticos é garantir a segurança e a qualidade do produto para proteger a saúde das pessoas. Para que a empresa possa importar produtos para saúde, cosméticos e saneantes, deverá solicitar uma autorização de funcionamento (AFE) que é concedida de acordo com as atividades da empresa. A atividade de importação tem como atividade inerentes a armazenagem e expedição. A empresa deverá pedir autorização para ambas atividades. Alguns produtos cosméticos precisam ser registrados, outros notificados e outros devem ser apenas comunicados, de acordo com a finalidade de uso e o risco que eles podem oferecer à saúde da população. Existem normas técnicas específicas para cada tipo de produto que precisam ser observadas para que a empresa consiga um registro, uma notificação ou uma comunicação prévia junto à Anvisa. Essas normas poderão ser consultadas no site www.anvisa.gov.br Os produtos sujeitos ao registro possuem um maior risco e são classificados em grau de risco 2. Por isso, antes da concessão do registro, as empresas deverão apresentar os documentos exigidos na legislação, que são conferidos e analisados tecnicamente pela Anvisa. Adicionalmente há regras gerais para rotulagem. De acordo com o Código de Defesa do Consumidor, todo rótulo de produto deve prover ao consumidor com correta, clara, precisa e facilmente legível informação em português sobre a qualidade, quantidade, preço, garantia, validade, origem e riscos do produto a saúde e segurança do consumidor. Produtos importados devem realizar uma tradução para o português destas informações. Requerimentos específicos de rotulagem são encontrados na Resolução 211/05.Rótulos de produtos devem indicar o nome e o endereço do escritório registrado do fabricante ou importador (ou a pessoa responsável por comercializar o produto cosmético). Caberá ao importador e/ou detentor da regularização do produto a obrigação pelo cumprimento e observância das normas regulamentares e legais, medidas, formalidades e exigências ao processo administrativo de importação, em todas as suas etapas, desde o embarque no exterior até a liberação sanitária no território nacional. Estas importações estão sujeitas ao registro de Licenciamento de Importação no SISCOMEX, submetendo-se à fiscalização pela autoridade sanitária antes de seu desembaraço aduaneiro. Por fim, cabe destacar que em alguns casos as marcas possuem representantes exclusivos no Brasil. A importação sem a autorização do fabricante ou representante poderá ser vedada. Como toda importação, em muitos casos os custos fixos acabam inviabilizando a operação. Além disto haverá custos extras com a documentação na Anvisa. A pergunta a se fazer neste momento é o motivo pelo qual poucas empresas fazem a importação de cosméticos no Brasil. A resposta pode estar na burocracia e custos. Há muitas barreiras para entrada neste segmento apesar das inúmeras oportunidades comerciais. Atenciosamente, Equipe IBSolutions – Soluções em Comércio Internacional
  18. 1 point
    Olá, Pelo menos aqui na China isso não funciona. Ou se verifica a empresa previamente na própria China ou se leva um belo golpe. O Brasil não tem e nunca terá esse controle, pois cada país tem sua legislação e aqui é mais fácil fechar e abrir empresas do que comprar uma cocacola num hipermercado. Um dos golpres modernos aqui é o seguinte: A empresa LEGÍTIMA contrata uma TRADE COMPANY para acessorar os negócios internacionais. Até aí tudo bem. Acontece que, a negociação é feita entre a TRADE e o cliente. Quando o cliente faz o pagamento a TRADE, a mesma some do mapa. Aí quando a gente entra em contato com a empresa verdadeira ela diz: "Não fomos nós, foram eles!" "Somos uma empresa séria!" e o cliente que amargue o preju! Trabalhei em empresa aqui na China e pelo menos aqui, nem o Brasil nem NINGUÉM saberá quém é sério por uma "lista negra". Ou se verifica e tira fotografias dos administradores, prédio e se verifica documentos, como faço, ou caminhe para o "cheiro do queijo"...ehehe e não acontece só na china. Acontece na África e na ásia. E o alibaba é um oceano cheio de "tubarões famintos", se é que vcs me entendem. Os bandidos internacionais são mais espertos que a inteligência policial. E para outros países só se muda a forma, mas o perigo é iminente! Qualquer dúvida sobre China pode mandar. Abração
  19. 1 point
    Eu quero me expressar sobre a quantidade de informações de a Dra. Karina me "deu". Informação vale ouro! O despachante serve pra realizar os serviços gerados pela burocracia. Eu posso contratá-lo ou não, diante do tamanho da minha disposição de ir a bancos, filas, repartições, emitir documentos etc. Como quando eu vou transferir um carro, ou enterrar um morto etc. Se eu estivesse muito ocupado, muito cansado, ou com muito dinheiro pra gastar, eu contrataria de primeira. Agora, esconder os caminhos para tal num Estado democrático, de Direito, como se fosse uma serviço altamente técnico e exclusivo - não dá. Nesse país as pessoas tem que apreender a produzir e fazer a diferença! Salve a Despachantologia Simplificada!
  20. 1 point
    Perfeito comentário Maicon. Acrescento ainda que o estudo das leis aduaneiras vigentes são feitas diariamente pois todos os dias são publicadas novas normas relacionadas ao assunto. Sempre se aplica o velho exemplo: "Apertar parafusos para regular uma máquina é fácil, mas saber abertar um parafuso, aquele que é o correto e o seu ponto de equilibrio tem que ter um custo". Aliás R$ 1.000,00 é pouco não paga a manutenção mensal de uma empresa estruturada. Um abraço a todos! Moacir Ferreira da Silva Filho GREEN SERVIÇOS INTERNACIONAIS LTDA Importação e Exportação - Despachante Aduaneiro Import and Export Department - Custom Broker Home: www.greenservicos.com.br Blog: http://greenconsultores.blogspot.com Twitter: @moacirferreira
  21. 1 point
    Jacque, são quantas pedras de quantos modelos?
×