Ir para conteúdo
Siscomex - Comércio Exterior
  • Cadastre-se

Pesquisar na Comunidade

Showing results for tags 'aduana'.



More search options

  • Search By Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Search By Author

Tipo de Conteúdo


Fóruns

  • Comércio Exterior
    • Exportação e Comércio Exterior em Geral
    • Importação
    • Anúncios
    • Notícias
    • Geral, Off-Topic
    • Assuntos diversos de Comércio Exterior
  • Comunidade
    • Regras do fórum
    • Comunicados e Informações da Administração
    • Ajuda sobre o fórum

Find results in...

Find results that contain...


Data de Criação

  • Início

    End


Data de Atualização

  • Início

    End


Filter by number of...

Data de Registro

  • Início

    End


Grupo


AIM


MSN


Website URL


ICQ


Yahoo


Jabber


Skype


Twitter


Cidade


Empresa

Encontrado 5 registros

  1. Como desembaraçar sua bagagem despachada do exterior (PORTO SANTOS) Fiz este tutorial e postei ALGUMAS informações adicionais sobre legislação neste blog; http://semdespachante.blogspot.com/ Após experiência desgraçadamente traumática com minha mudança, despachada de Londres para o Porto de Santos, faço este guia. Pela cidadania, contra os malditos atravessadores, contra a política de “criar dificuldades para vender facilidades”, contra o abuso econômico de armazéns e empresas de logística, e para para facilitar a vida de colegas estudantes e moradores do exterior que, como eu, retornam ao Brasil e despacharam pertences por via marítima. Aliás, leve no avião o que der e o que não der! Há muita burocracia para se liberar uma bagagem desacompanhada, despachada para o porto de Santos. Mas é vantagem você cuidar disso pessoalmente. Lição número um, de suma importância: você não precisa de um despachante alfandegário. REPITO: VOCÊ NÃO PRECISA DE DESPACHANTE ALFANDEGÁRIO. Ele só vai lhe atrapalhar e fazê-lo gastar mais. O sistema da Receita Federal é burocrático, mas muito amigável com o interessado, OU SEJA, VOCÊ EM PESSOA. Tenho a impressão que certas categorias de “facilitadores” serão extintas com a evolução do Estado e com a informatização, como já ocorre com o DETRAN. É mito a ideia de que você precisa de alguém pra cuidar de sua bagagem. Primeiro de tudo, cuide para que o despacho venha em seu nome, e não de uma empresa. Quando mandar as coisas do exterior, faça com que os documentos venham em seu nome, para seu endereço no Brasil. O documento fundamental, que inicia Tudo, é o tal BL, o 'bill of landing'. Veja o danado aqui embaixo: Ele chega ao seu endereço no Brasil, por.correio ou courier. Três vias originais. NÃO as perca de jeito nenhum! Isso é o passaporte pra sua carga. Perdeu, game over. Agora, você precisa de 2 ou 3 dias inteiros em Santos, para liberar. Quanto mais cedo começar, menos armazenagem. Creia-me, você quer pagar o mínimo, que já é caro. Meus 2 meses, carga de 165kg e 2m3 ficaram em 3400, só de armazém. Se liberar em uma semana, poderia derrubar isso pra uns mil e poucos. Estou quase abandonando tudo, ainda negociando com a droga do depósito, mas isto é outra história... 1- “Ingredientes” antes de descer: · Não deixe de ler as regras da Receita Federal:http://www.receita.f...acompanhada.htm · BL original e 4 cópias; · Página da foto do passaporte: 4 cópias; · CPF e RG - 4 cópias; · Passaporte completo, todos as páginas, Todas! (duas cópias – pra RFB e pra Marinha Mercantil); · lista de bens com valores aproximados em reais; · Comprovantes de que morou fora por um ano: passagens, aluguel, matrícula da faculdade, documento estudantil, declaração do consulado, etc. · Compre um envelope escrito ‘DSI’ EM QUALQUER PAPELARIA ao redor da alfândega: tem uma na Braz cubas. Um detalhe importante: trabalha-se muito em todos estes lugares: das nove ao meio-dia e das duas às cinco. São europeus: fecham tudo por duas horas. Uma civilidade invejável! Siscomex e ICMS Extras que podem agilizar muito sua vida, principalmente se o funcionário da receita não for prestativo (devo salientar que, no meu caso, foi muito prestativo): · 1- faça uma senha pro Siscomex: veja comono site da receita:http://www.receita.f...ex/siscomex.htm Talvez tenha que ir pessoalmente a uma secretaria da receita na sua cidade. Ande com todos os docs listados acima, pois podem pedir para liberar uma habilitação/senha. De posse da senha, faça login e registre seu BL e a lista de bens. Você estará gerando uma DSI, ou seja, 'declaração simplificada de importação”. Imprima umas 4 cópias. Ganhou 2 ou 3 horas só com isso! Isenção de Icms Preencha isso, após ter a DSI registrada (acima), com dados do BL e da DSI: WWW.fazenda.sp.gov.br/simp/ - coloque seu CPF e o número da DSI que você já deveria ter gerado! Nos campos respectivos, ponha adição n.o1; clas tarifária = 00000; trat tibut.o 4; Fundamento legal: artigo 8.o do anexo I do anexo do ICMS (DEC 45.490/00). Imprima 3 cópias. Ok, você está pronto para descer pra SANTOS COM TODA ESSA PAPELADA. PRIMEIRA PARADA: o endereço da empresa de logística que aparece no Bl: olhe a coluna da direita, campo nove, onde se lê 'document presentation'. Lá, você vai deixar uns 500 reais e pegar carimbos.Lembre de pegar o endereço do armazém e do escritório da companhia (neste último, você vai pagar a armazenagem – deus te ajude! – vide abaixo). Isso te credencia pra ir pra receita - prédio enorme escrito alfândega: PRAÇA DA REPUBLICA S/N 8h30 as 12h e 14h as 17h Sugiro que pare o carro por ali. Dá pra fazer tudo a pé. Tem um estacionamento com bom preço do lado oposto da rua/praça. Vá ao setor de bagagem. Comece a despachar, vá seguindo instruções. Terminou a receita, após muita andança e umas 3 horas. Passe na marinha mercante com a DSI e os comprovantes. Você pedirá isenção de taxas da marinha mercante. R. Augusto Severo, 7. Perto. Rápido, cerca de 15 min. Somente no dia seguinte, após despachos na receita, seu envelope e processo DSI chegará ao armazém, em torno de 9h. Entre para conferir a mercadoria com o fiscal da receita federal - é obrigatório. Insista na portaria. Tem uns idiotas que não estão acostumados com “pessoa física’. Mais um papel e um carimbo. Volte pra região da alfândega e vá no prédio da fazenda estadual: um prédio clássico, que fica à direita do da alfândega (olhando de frente, o único prédio na praça à direita). Despache o impresso do ICMS (junte passaporte, rg, cpf e docs da receita, incluindo a isenção) e não ESPERE competência. Vão demorar até umas 15:30 pra te devolver as coisas despachadas de manhã. Enquanto a fazenda estadual "trabalha", vá pagar o armazém no endereço do escritório, que você já deve ter (pegue naquele primeiro lugar onde carimbou o Bl). Pague a conta. Vai morrer com mais de mil. Segundo eles, é calculado sobre o valor que você declara na receita, volume, peso, e tempo. O tempo é cruel. Seja rápido para não pagar mais. Pronto! Tá livre pra pegar suas coisas. Contrate um carreto ou alugue uma Van, e leve suas coisas. O que você resolve sozinho em dois ou três dias, o despachante levaria um mês ou mais, fora os honorários dele. Espero que pessoas comentem, me corrigindo e completando, para que editemos um tutorial completo e bem abrangente. Por fim, reforço que minha intenção, ao empenhar tempo nestas linhas, é disseminar conhecimento e iluminar as trevas dos processos e instituições deste país, mesmo que em uma escala mínima. Abraço, Rafael.
  2. Sem qualquer sinalização do governo sobre a regulamentação do pagamento do bônus variável por eficiência, os auditores fiscais da Receita Federal - que há mais de um ano já recebem um adicional de R$ 3 mil por mês nos salários - prometem intensificar as paralisações de trabalho e as operações padrão nas aduanas do País. A categoria, cujo salário inicial é superior a R$ 20 mil, fechou acordo com o governo ainda em 2016 para receber bônus para cumprir metas de trabalho. O adicional de remuneração inclusive foi aprovado em lei, mas até hoje não foi regulamentado e as metas nem chegaram a ser estipuladas. "A Receita disse que não há entraves para a regulamentação, mas também disse que não há expectativas para a publicação desse decreto. Continuamos frustrados", afirmou o presidente do Sindifisco Nacional, Claudio Damasceno, após reunião com o secretário da Receita, Jorge Rachid. A queda de braço entre os auditores fiscais e o governo vem desde o ano passado. Em outubro, o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, chegou a dizer à categoria que a regulamentação do bônus sairia em 30 dias, o que não aconteceu. "Os auditores não querem fazer greve, querem que a lei seja cumprida. Enquanto isso não acontecer o movimento vai se intensificar", avisou Damasceno. De acordo com a lei que criou o bônus, a Receita deve estipular as metas para os auditores, que precisam ser aprovadas por um comitê formado por representantes dos ministérios da Fazenda, Planejamento e Casa Civil. Apesar de todos os auditores já receberem um bônus fixo de R$ 3 mil por mês desde janeiro do ano passado, ele argumenta que a regulamentação e a definição das metas possibilitarão que os servidores com melhor desempenho ganhem adicionais superiores a isso. No limite, um auditor fiscal poderá turbinar o salário até o teto constitucional - que é a remuneração dos ministros do Supremo Tribunal Federal, equivalente a cerca de R$ 33,7 mil. "Não podemos dizer que a nossa remuneração não está de acordo com a realidade do funcionalismo, mas os auditores fiscais de 21 Estados já recebem bônus variáveis com base no desempenho. O mesmo ocorre em países como França, Estados Unidos e Japão", alegou o presidente do Sindifisco. Questionado por que servidores que prestaram concurso público para desempenhar suas funções de acordo com os salários já pagos à categoria precisam de um bônus para cumprir as metas de trabalho, Damasceno lançou o argumento da meritocracia. "O bônus variável é um contrato de risco para o servidor. Pode-se ganhar mais que R$ 3 mil de adicional, mas pode-se ganhar menos ou até mesmo não ganhar nada", respondeu. O projeto inicial de bônus para a categoria previa que a remuneração extra seria pagar a partir dos recursos arrecadados com as multas aplicadas em autuações da Receita, mas o Congresso retirou essa destinação. Segundo Damasceno, o pagamento do bônus deve vir do Fundo de Desenvolvimento e Administração da Arrecadação e Fiscalização (Fundaf), que existe desde 1975. "Não faltam recursos para o pagamento do bônus", completou o sindicalista. Fonte: ESTADÃO CONTEÚDO • 21.02.18 3:31 PM
  3. Ed Oliveira

    Importação - Chile

    Olá pessoal, Alguém saberia me dizer se existe algum benefício em importar produtos do Chile para a comercialização no Brasil. O fato é que estou querendo importar alguns produtos dos EUA mas descobri que eles tem um distribuidor no Chile. Alguma diferenciação nas tributações? Alguma relação boa em relação ao Mercosul?
  4. Milena Sá

    Trading Company

    Olá, somos da Zion Trading! Atuamos no ramo de comércio exterior prestando assessoria, realizando importação, exportação e representação comercial. Asseguramos que a parte burocrática - aduana, orientação aos compradores/fornecedores no Brasil e exterior e logística - fique sob nossa responsabilidade, para que nossos clientes possam manter o foco no desenvolvimento de seus negócios e prospecção de novos clientes. Trabalhamos sob as premissas da excelência e confiança nas relações de negócios. Expanda seus negócios! Importe e exporte com a Zion Trading. Contatos: Milena Sá milena.sa@ziontrading.com.br Phone: 55 21 2453-0072 Mobile: 55 21 97900-3734 Isabella Caminha isabella.caminha@ziontrading.com.br Phone: 55 21 2453-0072 Mobile: 55 21 97951-4815
  5. careyourgoods

    Comprar com segurança da China

    Olá pessoal, Pra comprar da China tem que saber se proteger dos golpes que frequentemente acontecem. Muitos empresários perdem milhares de dólares todos os dias por falta de cuidados na hora de escolher um fornecedor. O meu trabalho aqui em Shenzhen é proteger os brasileiros que compram dos chineses. Acessem www.careyourgoods.com e conheçam meus serviços. Lembrem-se de o pagamento de 250USD numa auditoria a um fornecedor evita a perda de 50.000USD num calote futuro. abraço a todos
×